Pesquisa SPREAD-NEO

"SPREAD Neo – Sepsis PREvalence Assessment Database in Neonatal population"

Perfil epidemiológico da sepse em unidades de terapia intensiva neonatais de hospitais brasileiros

Estudos epidemiológicos são de grande importância para avaliar a incidência de determinada doença e assim, auxiliar no direcionamento de políticas de saúde pública. O SPREAD é o estudo epidemiológico mais recente, de caráter nacional, que avaliou a prevalência e a letalidade por sepse e choque séptico em pacientes adultos de UTI brasileiras. De acordo com os dados desse estudo, a mortalidade por sepse em adultos no Brasil é de 55,7%, com diferenças importantes nas diversas regiões brasileiras e na disponibilidade de recursos. Além de confirmar dados anteriores de que a letalidade brasileira é superior à reportada em países desenvolvidos, o estudo mostrou que são fatores ligados ao aumento da mortalidade a gravidade dos pacientes, o desenvolvimento de sepse na UTI, a inadequação do tratamento, o atraso para administração da primeira dose de antimicrobianos e a baixa disponibilidade de recursos. Dados globais de epidemiologia de sepse pediátrica e neonatal são limitados. Os estudos disponíveis na literatura de sepse grave e choque séptico em pacientes neonatos, em geral, envolvem poucos pacientes, com patologias específicas, não são multicêntricos ou ainda retrospectivos com análises de dados governamentais sem, portanto, ter a representatividade necessária que reflita a prevalência de casos nessa população específica. No Estado de São Paulo, a sepse e as malformações congênitas são as causas principais da mortalidade infantil (11,4/1.000 nascidos vivos em 2014). A sepse neonatal constitui a causa principal ou associada de morte neonatal. O presente estudo tem como objetivo avaliar a prevalência, a adequação do tratamento e a mortalidade da sepse grave e choque séptico nas unidades de terapia intensiva neonatais dos hospitais brasileiros em todas as regiões do país. De forma semelhante ao SPREAD adulto, este estudo será formado por uma coorte prospectiva num único dia em todas as instituições envolvidas. Nesse dia, todos os pacientes neonatais com sepse grave e choque séptico internados nas unidades de terapia intensiva participantes serão incluídos. Os dados de prevalência, taxas de aderência aos pacotes de tratamento e mortalidade serão comparados entre as diferentes regiões geográficas bem como entre os hospitais ligados ao Sistema Único de Saúde e a Saúde Suplementar.

Parecer do CEP

Instituição patrocinadora

Instituto Latino Americano de Sepse

Instituições parceiras

Rede Brasileira de Pesquisas Neonatais

Status do estudo

Em fase de recrutamento das UTIs sorteadas.

Ajude o ILAS no combate a sepse no Brasil.
Faça uma doação e contribua para divulgar sepse em todo o país